Dia de cinema – Não Estou Lá

imnotthere1.jpgFim de semana chegando, folguinha à vista, para aqueles que diferente de mim não trabalham no fim de semana, e sempre sobra um tempinho pra um cineminha. Se você está em Porto Alegre, ou em algum lugar próximo e não tem nada de bom para fazer neste sábado à noite, uma dica legal é conferir a pré-estréia do elogiado Não Estou Lá (I’m not there, EUA, 2007), uma espécie de cinebiografia do cantor folk americano Bob Dylan.

Espécie? Pois é, para quem anda fora do planeta e não ouviu, nem leu nada sobre o filme, o diretor Todd Haynes decidiu contar algumas crônicas inspiradas na vida do músico. Até aí tudo bem. O fato inusitado é que ao longo do rolo seis atores (incluindo uma atriz) se revezam para emprestar suas feições para ao personagem, que além de face diferentes também assume identidades e nomes difersos.

O que poderia causar espanto, ou até mesmo um desconforto para o público e fãs é na verdade o grande atrativo deste filme. O que vai ser mostrado serão os inúmeros indíviduos que formam o tal Bob Dylan, e suas personalidades múltiplas com o passar dos anos. O nome `crônicas da vida de Dylan` é perfeito para demoninar o filme, já que vamos assistir hisórias reais, exageradas, fantásticas e honestas até demais sobre o tal personagem. No primeiro trailer do filme, um voz em off conta que “todos os dias ele vai dormir como uma pessoa diferente, e quando acorda ele já não é mais quem foi”, uma síntese perfeita para quem vem a ser nosso protagonista.

Uma barbada para digerir melhor o filme é assistir ao sensacional documentário No Direction Home, de Martin Scorsesse. Que segundo a opinião de alguns críticos, teria servido de inspiração para algumas construções do filme de Haynes. A produção de Scorsesse recorda diversos momentos da vida do cantor, em grandes excurções e turnês até o momento atual, onde o músico se tornou um ícone da música. Vale a pena conferir.

Entre o elenco de Não Estou Lá estão Cate Blanchet, em papel que levou uma indicação ao Oscar, Richard Gere, Christian Bale e Heath Leader, ator recém falecido. Outro ponto bacana é a seleção de músicas, todas mixagens a partir dos originais de Dylan, o que salva muito o filme para aqueles fãs que detestam ver Joaquin Fenix e Reese Whiterspoon cantando musicas de Johnny Cash e June Carter (Walk the Line, EUA, 2005).

O filme tem estréia oficial no Brasil no dia 4 de abril, mas para quem não se aguenta de vontade (assim como eu) pode dar um pulinho no cinema mais próximo e conferir a pré-estréia neste final de semana. Em PoA-RS, a sessão rola neste sábado, 29, a partir das 23h40min, no Unibanco Arteplax.

Fábio Prina_28/03/08

Anúncios

Roger Waters no Amazonas

O fundador e ex-baixista do Pink Floyd, Roger Waters, esteve semana passada na capital do maior estado brasileiro, 2515310x249thumbaxd.jpgManaus, para supervisionar a montagem de sua ópera Ça Ira. O texto é inspirado na Revolução Francesa e foi escrito e arranjado pelo próprio músico.

A montagem é braseileira, com atores tupiniquins, mas o texto contínua em inglês. Waters veio para conferir a peça antes da estréia no Festival de Ópera de Manaus, que acontece no sagrado Teatro Amazonas.

A última vinda de Waters no Brasil ocorreu no início do ano passado, quanto o músico trouxe para o eixo rio-sampa a turnê The Dark Side of the Moon, onde além de canções clássicas do Pink Floyd e de sua carreira solo, havia uma performance na integra de álbum homônimo, considerado um dos melhores discos de todos os tempos.rs150.jpg

Nestes dias de salário apertado fica difícil pegar um avião, pagar hotel, taxi e alimentação para assistir um show há vários quilometros do Rio Grande do Sul. o jeito é procurar na memória a feliz lembrança do espetacular concerto In The Flesh realizado em 2003 no Estádio Olimpico Monumental, em Porto Alegre. Há também um registro em CD e DVD do show, mas para quem foi conferir ao vivo, a lembrança é muito mais grandiosa.

Fábio Prina 27/03/08

Iraque: Parte II- 5 anos

Foi num longíncuo março de 2003 que a conturbada invasão do Iraque começou. Lembro das conversas em butecos com amigos sobre o que deflagara aquela guerra desnecessária. As famosas teorias conspiratórias, oleodutos, levar a democracia diante da tirania de Sadan Houssen. Cinco anos se passaram e nada ainda mostrou resultado. O petróleo, ouro negro que tanto é almejado teve recordes no preço de negociação, valores superiores a U$$ 100. Preço que se iguala ao famoso período de crise, em meados dos anos 70.

Enfim, ditador derrubado, território ocupado e uma situação longe de ter controle. Imprensa especializada e opinião pública chamam o Iraque de `novo Vietnã`. Uma guerra construída em grandes salas de reuniões para desovar armamentos e reaquecer uma economia, cada vez mais questionada.

Neste novo aniversário da Guerra do Iraque Parte II, a agência de notícias Reuters preparou um `vídeo comemorativo`com imagens desde o início do comflito, até o agravado presente momento. Entre as imagens colhidas estão fotografias, videos amadores, videos com celulares, videos noturnos e depoimentos de jornalistas, fotografos, técnicos e editores que participaram da caçada por informação em meio ao caos da guerra.

Olhares ao céu

Clique na imagem acima para acessar a página onde está hospedado o vídeo.

Nessa imagem copiada diretamente do filme, dois personagens discretos da guerra olham para o céu. Notem que o soldado americano procura o sol através de seus óculos protetor, a imagem dele está refletida em um vidro espelhado, enquanto que o prisioneiro de guerra ou refém ou morador de um vilarejo tenta ver a luz através de sua venda.

Uma guerra de contradições, mas que no fundo está almejando um escape, um fim. A um conflito tão mal explicado que deixará para a memória, apenas a lamentação de uma violência gratuita e sem objetivos.

Fábio Prina_27/03/08

Muito além do horizonte, há uma porta, que os levará para o caminho de casa

Mestre dos MagosSe você achou este lugar sozinho, meus parabéns. Ou parabéns há algum buscador, que trouxe você até este longíncuo blog de bobagens e cultura inutil perdido na World Wide Web.

Há muito tempo atrás, este endereço hospedava trabalhos e criações fantásticas para a disciplina de Jornalismo On-line, cursada no segundo semestre de 2007, na Unisinos. A partir de hoje, farei deste espaço, o meu espaço, de confissões, desabafos, passatempo e outras formas de expressão que ainda não bolei.

Nosso foco será o grande universo da cultura, em especial o que está próximo, ou não tanto, de mim: cinema, música, HQ, desenhos animados, livros, teatro, exposições, feiras, artesanato indígina, brinquedos, personalidades, besteiras e qualquer coisa que for interessante, no maravilho mercado global do entretenimento.

Também como um bom estudante de comunicação, não vou deixar passar fatos e assuntos que agitam o mundo pop midiático. Afinal, nem só de pão viverá o homem, vamos mesclar, inventar e por na torradeira para deixar tudo mais… gostoso.

Enfim caro visitante, seja sempre bem-vindo. Se gostou ou não de algo que leu, viu, ouviu ou assistiu por aqui, não deixe de responder, de comentar. Assim que as oportunidades aparecerem, estarei postando mais e mais sobre tudo que ronda esta a mente estranha deste que vos escreve.

Tenham todos uma ótima estadia neste blog.

Fábio Prina_24/03/08