Perdido na Terra

Mesmo antes de chegar aos cinemas, é comum aos filmes produzidos pela Pixar Animation Studios , consequentemente distribuidos pela Walt Disney, virarem verdadeiras sensações. Foi assim desde o lançamento de Toy Story, em 1995 (!), com a publicidade “o primeiro filme feito inteiramente por computador”. Nada é direfente com a aventura do estúdio mais promissor de hollywood atualmente, Wall-E.

É comum que com essas produções venham junto uma verdadeira avalanche de merchandeising, marketing e promoções, como foi o caso de Procurando Nemo, Os Incríveis e Carros. Por outro lado, é interessante lembrar que Rattatoille foi recebido friamente pelo público e almejado pela crítica. Sua estréia ficou aquém de seus “irmãos”, mas o boca-a-boca deixou Remy e seus amigos roedores franceses durante semanas no Top5 das bilheterias e fizeram a animação ser mais um grande sucesso na brilhante carreira na Pixar.

Outro ponto que também é muito bem elaborado e elogiado nos filmes da produtora é a linha de base que sustenta as animações “feitas por computadores”: suas histórias. Por mais simples que isso pareça, muitos outros estúdios esqueceram completamente que a história de um desenho animado é mais importante do que fazê-lo só para juntar uns trocados. Vide as continuações super boladas e originais de Shrek e Era do Gelo (só para alfinetar). Procurando Nemo, Os Incríveis e Rattatoille concorreram ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado, em especial os dois últimos, escritos e dirigidos por Brad Bird, são raríssimos casos de filmes animados com contúdo de diálogos e roteiros concisos, que merecem reconhecimento.

A história de Wall-E se passa no ano de 2700, em um futuro onde o planeta está tão poluído que os humanos saíram dele para morar em uma imensa nave espacial. Ficaram para trás pequenos robôs encarregados de limpar toda a sujeira deixada pelos homens. Waste Allocation Load Lifter Earth Class – ou Wall-E têm um problema nesta tarefa: com o passar dos anos, todos eles deixaram de funcionar, e apenas um último protótipo continua sua árdua tarefa, até que um dia ele deixa de trabalhar e olha para o céu…

Ao que tudo indica, o filme terá uma nostalgica analogia aos anos 60 e 70, em muitos trailers, posters e peças para a TV, o simático robozinho aparece interagindo com bringuedos e eletrodomésticos símbolos das décadas passadas como raquetes de ping-pong, cubo mágico, aspirador de pó e bambolê.

Até mesmo o design do robozinho parece (e muito) ter vindo de alguns anos atrás. A imagem que lembra Wall-E é a de um outro robô simpático e inteligente chamado Junior5, que apareceu milhares de vezes na Sessão da Tarde no clássico Um Robô em Curto Circuito. Os criadores de Wall-E afirmam que a idéia para a comcepção de arte veio da famosa Luxo Jr., a lâmpada que aparece no logo da Pixar, que também estrela um curta-metragem muito bacana do estúdio. mas veja por você mesmo as semelhanças.

Gêmeos separados? – Junior5 e Wall-E

Wall-E é dirigido por Andrew Stanton, de Procurando Nemo e estréia mundialmente no dia 27 de junho.

Trailer dublado em português, já que o filme é para crianças

Galeria de Artes

O robô mais avançado do mundo

Ele está em um mundo todo seu

O último herói “imparável”

No espaço ninguém pode ouvir você limpar

Fábio Prina_13/06/2008

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s